Aumento do dólar: entenda as causas e as consequências

Fabiana Veloso Vizoni

| 3 minutos para ler

aumento do dolar

Continua depois da publicidade

Você liga a TV e não se fala em outra coisa: o aumento do dólar. Se antes desejávamos que um dia ele voltasse a valer R$ 1, estamos cada vez mais distantes desse sonho.

Mas por que o dólar aumenta? Quais os motivos que fazem com que ele varie? E, ainda, como isso afeta nossa economia?

Vamos te contar tudo agora!

Leia também: Dólar alto é bom ou ruim? Entenda agora o impacto na sua vida

Como funciona a cotação do dólar?

Primeiramente, é preciso saber que o “preço” do dólar no Brasil é chamado de taxa de câmbio. Ou seja, essa taxa define quantos reais você precisa para “comprar” 1 dólar.

Existem dois tipos de dólar: o turismo e o comercial, sendo que o turismo é aquele vendido para quem vai viajar e é o que custa mais caro. Já o comercial é o que é negociado nas operações comerciais, sendo o câmbio que as empresas adotam.

É o Banco Central que regulamenta o sistema financeiro e garante a estabilidade do real. Nenhum banco pode vender ou comprar dólares sem a sua autorização.

Quais as principais causas do aumento do dólar?

O dólar aumenta ou diminui por conta de diversos fatores da economia. Afinal, ele é usado em transações comerciais tanto no governo quanto entre bancos, na compra e venda de mercadorias, importações e exportações.

Isso tudo faz com que o dólar circule no mercado. Quanto mais gente precisa dele, mais caro ele fica. Quanto menos gente quer comprar, mais ele sobra, ficando mais barato.

É a chamada lei da oferta e de procura, e isso acontece porque desde 1999 a política de câmbio do Brasil é flutuante. Ou seja, o governo não interfere nela, sendo influenciada somente pela disponibilidade e procura no mercado.

Sendo assim, as principais causas do aumento do dólar são:

  • Mais importações do que exportações: o chamado déficit na balança comercial. Nesse caso, saem mais dólares do país do que entram, diminuindo a circulação e aumentando o preço;
  • Muitos turistas gastando no exterior: quanto mais brasileiros gastando dólares e compras no exterior, menor é a oferta da moeda, aumentando a cotação;
  • Aumento dos juros dos Estados Unidos: quando a taxa de juros americana está alta, torna-se interessante para brasileiros aplicarem dinheiro lá, diminuindo a circulação da moeda no Brasil e, como no caso anterior, isso aumenta o seu valor.

Assim como esses são os motivos para aumentar a cotação, o contrário faz com que o dólar baixe. Por conta disso, uma medida adotada pelo governo é o aumento da taxa de juros no Brasil para que os estrangeiros invistam por aqui.

Como o aumento do dólar afeta a economia?

Uma das principais consequências do aumento do dólar é a diminuição dos investimentos no país. Ainda mais se a situação política não estiver nas melhores condições.

Quando isso acontece, os investidores começam a tirar o dinheiro do Brasil e, entrando menos dólares por aqui, ele começa a valer mais.

Para quem vai viajar também é um problema esse aumento. Isso porque as passagens ficam mais caras, bem como os gastos dos passageiros no exterior.

Além disso, as empresas também sofrem com esse aumento. Principalmente porque muitas indústrias hoje em dia importam matéria-prima e precisam repassar os altos preços em dólar para os consumidores. Esses, por sua vez, acabam consumindo menos. E aí, já viu, vira uma bola de neve! ❄

E o Brasil?

No final de 2020, o real era a sexta moeda mais desvalorizada em relação ao dólar no mundo todo. Segundo a agência classificadora de risco de crédito Austin Rating, a moeda brasileira ficou atrás apenas dos seguintes países: Venezuela, Seychelles, Zâmbia, Argentina e Angola.

Claro que tudo isso também tem a ver com a retomada econômica dos Estados Unidos. Porém a desconfiança dos investidores em relação à economia brasileira tem uma grande influência.

É o chamado Risco Brasil, ou risco-país, o indicador de quanto vale a pena um estrangeiro aplicar dinheiro aqui no nosso país. Esse risco sofre influência de diversos fatores como: leis tributárias, política fiscal, instabilidade política, entre outros.

Quanto maior o risco, menos interesse os investidores têm de aplicar dinheiro aqui e isso gera um aumento no câmbio.

Muitos acreditam que a política monetária do Brasil, com o aumento da taxa Selic, que é a taxa básica de juros, não será suficiente para fortalecer o Real, como analistas projetam.

Isso porque esse aumento dos juros também agrava o risco fiscal, podendo causar um desequilíbrio nas contas públicas.

Afinal, juros maiores significa ter que pagar mais para quem compra títulos públicos. Juros maiores também significam maior endividamento de empresas que precisam de crédito.

Ou seja, mais bolas de neve! ⛄

Quem ganha com o dólar em alta?

Pode parecer que o aumento do dólar significa problemas única e exclusivamente. No entanto, tem gente que ganha com essa alta.

Os fabricantes nacionais e que usam matéria-prima nacional, por exemplo. Como eles concorrem com fábricas estrangeiras que entram no Brasil com preço mais alto por conta do dólar, podem vender mais.

As empresas que exportam também ganham com essa alta, afinal de contas, poderão vender em dólar e aumentar sua receita.

Leia também: Vale a pena investir em dólar ou câmbio?

Se você quer mais dicas sobre finanças, continue aqui no blog!

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *