O que é inadimplência e por que você deve correr dessa situação

Larissa Carvalho

| 5 minutos para ler

homem de de camisa branca sentado abrindo uma carteira vazia

Continua depois da publicidade

A organização financeira  é o primeiro passo para evitar dores de cabeça por causa do não pagamento de dívidas

Inadimplência é um termo que vemos com frequência em jornais, conversas com amigos e até mesmo em dicas financeiras. Porém, é comum confundir alguns conceitos que envolvem essa situação. É importante que você entenda como funciona a inadimplência para que seja possível ficar bem longe dela. Por isso, iremos falar e explicar, neste artigo, tudo sobre o assunto. Confira.

O que é inadimplência

O termo se refere às dívidas que não são quitadas dentro do prazo estipulado. Ou seja, o inadimplente é aquele que não conseguiu pagar suas pendências antes da data do vencimento.

Apesar de parecer simples, a inadimplência pode acarretar algumas dores de cabeça, como a interrupção do serviço que está com as contas atrasadas. É possível, também, ter o seu nome em listas de restrição de crédito. 

Dívida x inadimplência

É muito fácil crer que esses termos são sinônimos, porém, ter uma pendência não significa, necessariamente, estar inadimplente. O primeiro passo é entender que fazer uma dívida é assumir um compromisso financeiro. 

Podemos explicar isso por meio do cartão de crédito. Até que você pague a fatura dele, há uma dívida aberta, o mesmo ocorre com um financiamento de casa ou de carro.

Já a inadimplência acontece quando você não faz o pagamento no vencimento. Não se trata de um atraso, mas sim de não cumprir com um contrato financeiro. A diferença entre os dois termos é o tempo.

Na dívida, o atraso é mais curto em relação ao vencimento. Por outro lado, a inadimplência é considerada, em média, pelo não pagamento após 90 dias do vencimento da conta. Ou seja, todo inadimplente já esteve endividado.

pilha de moedas em um fundo preto

Para aprender mais: Como sair do Vermelho, dicas para liquidar as dívidas

Causas da inadimplência

Segundo dados do Serasa Experian, o número de brasileiros inadimplentes chegou a 63,8 milhões em janeiro de 2020. Isso representa um aumento de 2,6% em relação ao primeiro semestre do ano anterior. 

Entenda quais são os fatores que contribuem para esses números:

Desemprego

O desemprego é um dos principais fatores que influenciam no atraso do pagamento de contas. Sem emprego, as pessoas priorizam apenas algumas dívidas, geralmente as mais básicas e necessárias, e atrasam outras.

Diminuição da renda

Esse fator pode ser associado ao primeiro, já que, ao perder o emprego, é normal uma diminuição na recorrência de compras e pagamento das contas. A inflação também influencia nesse ponto, já que o dinheiro passa a valer menos.

Falta de controle financeiro

Esse é um motivo recorrente. A falta de controle financeiro ou de planejamento no orçamento pode ocorrer tanto por compras por impulso, como por falta de conhecimentos sobre educação financeira.

Salário atrasado

O salário atrasado, ou que não é pago, dificulta o pagamento das contas do trabalhador. Com a crise econômica, muitas empresas passam por dificuldades que se refletem no bolso dos trabalhadores. Nesse caso, procure seus direitos.

Parcelamentos

É fácil criar uma ilusão com a compra parcelada. A maior parte da sua renda pode ficar comprometida, te levando a deixar de pagar ou atrasar contas por falta de dinheiro.

Crédito fácil

Atualmente, está mais fácil conseguir um empréstimo e até receber “crédito” extra em bancos. Isso é um atrativo que leva algumas pessoas a gastarem além do que se pode pagar e as chances de inadimplência aumentam bastante.

Consequências da inadimplência

Dentro do mundo jurídico, o que é inadimplência pode ser definido como: quando descumprimos (total ou parcialmente) os termos de um contrato. E, nesse caso, a pessoa pode sofrer uma série de prejuízos, como:

  • Multas e juros para o pagamento da conta em atraso; 
  • Restrição de crédito, com a inserção do nome do inadimplente no SPC e no Serasa;
  • Problemas judiciais, como ter os bens penhorados ou ter a conta bancária bloqueada;
  • Suspensão dos serviços, como no caso de não pagar água, energia elétrica, telefone, celular, internet, entre outros.

Quando o nome vai para a lista de inadimplentes 

A partir do primeiro dia de inadimplência, a empresa para a qual você deve dinheiro pode solicitar a inclusão do seu nome e CPF na lista. Porém, há, primeiramente, o aviso ao setor de crédito.

A instituição envia uma comunicação, que te dá o prazo de 10 dias para regularizar a situação. Somente após esse período é que ocorre a inclusão na lista de inadimplência. Se a dívida for paga antes, o registro não se concretiza.

O nome fica sujo para sempre?

Depois que há a inclusão do seu CPF nos serviços de proteção ao crédito(SPC), o seu nome deixa de ficar sujo no momento que houver a regularização da inadimplência. Caso isso não aconteça, o prazo é de 5 anos.

Mas é importante ter atenção, depois dos 5 anos, o seu nome sai da lista, porém isso não significa que a dívida não existe mais. Ela ainda está lá, faz parte do seu histórico e, para se livrar disso, a regularização é a melhor saída.

Saindo da inadimplência

Mesmo que você tenha se tornado inadimplente, o mundo não acabou e é possível sair dessa, sim. Para isso, é necessário saber como lidar com essa situação para evitar que o problema e suas consequências cresçam.

Saiba quais são as suas pendências

Para se livrar dos débitos, é preciso entender quais são eles. Faça uma pesquisa nos departamentos de crédito e confira quais são as suas dívidas e há quanto tempo elas existem, assim, é possível saber o valor necessário para quitar.

As mais antigas, ou mais caras, vêm primeiro

É mais difícil pagar contas mais antigas e caras. Quando os juros são elevados, o melhor é quitar logo e evitar o crescimento descontrolado. Priorize essas duas situações para sair com mais facilidade da inadimplência.

Negocie as dívidas 

Em vez de pagar todo o valor de uma só vez, você pode negociar dívidas e conseguir descontos e condições especiais. Com isso, é possível abater parte dos juros e dividir o restante em parcelas.

casal na cozinha de casa analisando suas dívidas

Confira também: É verdade que muitas dívidas podem gerar problemas de saúde?

Prevenindo a inadimplência

Entender o que é inadimplência é importante, mas saber como evitá-la é essencial para a sua saúde financeira. Confira abaixo algumas dicas que podem te ajudar a se organizar financeiramente:

  • Desenvolva um orçamento mensal: Nele deve incluir todos os seus gastos e ganhos. É importante sempre consultá-la, isso ajuda a evitar pagar mais do que você consegue. 
  • Analise seus gastos: Faça uma análise de tudo o que você gasta e veja o que pode ser cortado, ou reduzido. É importante eliminar as despesas desnecessárias, como a assinatura de algo que não é mais utilizado, por exemplo.
  • Faça uma reserva de emergência: Montar uma reserva de emergência é uma das principais formas de evitar dívidas. Todo mês, deve ser guardado uma quantia determinada, caso ocorra algo fora do planejado, você não terá prejuízos.
  • Tenha metas financeiras: Tenha objetivos como quitar dívidas, comprar um carro, viajar para outro país, entre outros. Porém, planeje-se para realizá-lo, evite agir por impulso. 

Agora você já sabe ocomo funciona a inadimplência, como sair disso e como evitá-la. Acesse o site do Bom Pra Crédito, siga as nossas dicas, controle os seus gastos e tome as rédeas de sua vida financeira para conquistar os seus sonhos com mais facilidade e segurança.  

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *