Compras internacionais: entenda como seu produto pode ser taxado

Larissa Carvalho

| 3 minutos para ler

compras internacionais

Continua depois da publicidade

A pandemia deu um boom nas aquisições pela internet, afinal tivemos que nos reinventar ficando tanto tempo em casa. Além disso, a tecnologia vem trazendo constantemente mais praticidade para que possamos realizar mais compras internacionais.

Diversos marketplaces estão disponíveis hoje em dia, como o Shopee e Aliexpress, por exemplo, o que facilitou a nós o acesso a produtos do mundo todo, principalmente da China.

Se os preços dos produtos importados também chamam a sua atenção, continue acompanhando que vamos falar mais sobre as compras internacionais e sobre o IOF!

Leia mais: Cupons de desconto e cashback: como economizar ainda mais em suas compras pela internet

As taxas das compras internacionais

O que mais chama a atenção dos consumidores para os produtos internacionais é o seu preço, principalmente dos produtos chineses. Afinal, muitos deles costumam ter um valor bem mais baixo do que os equivalentes aqui no Brasil.

Porém, tome cuidado com a alfândega para o seu “barato” não sair caro! 😯

Existem encomendas internacionais que podem ser taxadas em até 60% e isso faz com que a transação passe a não ser tão vantajosa assim.

O imposto de importação é uma taxa que a Receita Federal cobra quando se recebe uma mercadoria no Brasil e que passe pela fiscalização. Por conta disso, é preciso ficar atento a diversos pontos importantes, entre eles os principais: quantidade de produtos que você adquire e quanto vai pagar no valor total da compra.

Por exemplo, pessoas físicas que fazem compras em sites internacionais realizam uma importação chamada simplificada e, nesses casos, o PIS, Cofins e IPI são isentos. Sendo assim, elas acabam tendo apenas o imposto de importação e ICMS, para compras até US$ 3 mil.

Já o IOF de compras internacionais tem uma alíquota única de 60%. Porém, ele é aplicado em aquisições acima de US$ 50, sendo o frete e o seguro inclusos nesse valor. Enquanto isso, o ICMS, que é um imposto estadual, depende do local de destino.

Existe isenção de tributos em algum tipo de compra internacional?

Muitos não sabem, mas para compras internacionais com valores menores que US$ 50 não é preciso pagar imposto. Mas, somente se essa comercialização for entre duas pessoas físicas, o que costuma acontecer bastante nos marketplaces que citamos lá no início.

Alguns itens podem fugir do limite e não sofrer a tributação, como por exemplo, medicamentos ou aparelhos médicos, se o valor da compra não ultrapassar US$ 10 mil, desde que venham com receita ou prescrição médica.

Além disso, livros, jornais e periódicos também não pagam imposto e isso é definido pela própria constituição.

Tipos de encomendas internacionais

Há dois tipos de encomendas para as compras internacionais: a postal e a remessa expressa. O pagamento do imposto varia de acordo com o tipo de encomenda escolhida.

A postal é de responsabilidade dos Correios, então, se a sua compra for parar na alfândega e, por conta disso, for tributada, o pacote fica retido em uma das agências. Dessa forma, você só tem a mercadoria liberada se pagar o valor estabelecido pela Receita Federal.

Inclusive, nesse caso, os Correios enviam um comunicado da Receita Federal avisando que sua encomenda ficou bloqueada.

Já a remessa expressa é aquela feita por empresas especializadas em transporte. Nesse caso é ela que se responsabiliza pela documentação e tributos, cobrando posteriormente do destinatário, se for o caso. Assim, é a empresa também que fica responsável pelo aviso ao cliente.

No caso de não pagamento, você não receberá a encomenda, isso é fato. No entanto, é possível recorrer à justiça para não pagar o imposto. A isenção, segundo o Decreto Lei nº 1804, de 1980, é de US$ 100.

O que fazer se o seu produto importado for taxado?

Caso o seu produto seja taxado, na maioria das vezes vale a pena você seguir com a aquisição pois, caso desista, você vai acabar perdendo o dinheiro da compra. Essa afirmação não é verdadeira somente se você fizer as contas e o valor da compra somado ao imposto seja maior do que comprar o mesmo item aqui no Brasil.

Mas, de qualquer maneira, você não recebe de volta o valor investido no produto se ele ficar retido e você não for buscá-lo.

Através dos Correios, você recebe a NTS – Nota de Tributação Simplificada. Ela informa o valor a ser pago, sendo que este varia de acordo com o produto, o local de recebimento e o estado.

A liberação da sua mercadoria varia principalmente em relação a origem do produto, o tipo de frente, a capacidade de operação do local e se há outros órgãos envolvidos.

Nas compras internacionais feitas pelos marketplaces, por mais que as cobranças não sejam dos portais, a Receita Federal notifica o site que vende no Brasil. Portanto, elas têm a obrigação de informar aos consumidores a possibilidade de tributação.

Sendo assim, todas as empresas precisam informar sobre a tributação. Fique atento!

Leia também: Compras on-line: como não se enganar com e-commerces no Brasil

Agora que você já sabe como funcionam as compras internacionais e os seus impostos, que tal organizar-se para fazer as suas?

Nós do Bom Pra Crédito contamos com empréstimos pessoais que podem te ajudar a adquirir o que deseja, seja no Brasil ou no exterior!

E se quiser continuar sempre informado, é só consultar o nosso blog!

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *