Planejamento financeiro individual: passo a passo de como criar o seu

Fabiana Veloso Vizoni

| 4 minutos para ler

planejamento financeiro individual

Continua depois da publicidade

O primeiro passo para quem quer sair das dívidas e deixar todas as contas em dia é a organização. Assim, o planejamento financeiro individual entra como uma ferramenta prática e efetiva na hora de controlar os gastos.

Saber quanto entra de dinheiro todo mês na sua conta e quanto sai para as despesas, é fundamental independente de qual a sua idade ou profissão. Se você recebe dinheiro e paga por produtos ou serviços, você precisa saber se planejar!

Por mais que nem todo mundo goste de falar de dinheiro, já que é um assunto delicado nas rodas de conversa, saber lidar com ele é parte importante da vida e da realização de seus sonhos.

Se você deseja fazer um bom planejamento mas nem sabe por onde começar, pega papel e caneta (ou seu computador ou smartphone, se você é mais digital 👨‍💻) e vamos botar a mão na massa pra aprender a se organizar!

Leia também: Planejamento financeiro 2021. Como passar o ano todo com saldo positivo

O que é o planejamento financeiro individual?

O planejamento financeiro individual nada mais é do que saber exatamente quanto dinheiro você recebe todos os meses e para onde vai cada centavo. É a organização das suas finanças pessoais, ou seja, uma ferramenta que serve para que você saiba onde precisa ou quer chegar na sua vida.

É através do planejamento financeiro que você pode comprar uma casa, um carro ou fazer uma viagem dos sonhos. Mas também, é ele quem “decide” se você pode comer no restaurante esse mês ou se só vai poder fazer suas refeições em casa para economizar.

Só se pode traçar metas e objetivos se você planeja. Afinal, como você vai saber quanto precisa economizar no mês, se quiser comprar alguma coisa?

Qual a importância de um planejamento financeiro individual?

A principal função do planejamento é saber a melhor maneira de utilizar o seu dinheiro. É como se ele fosse um GPS que te guia para os seus objetivos financeiros. O planejamento financeiro individual te indica para onde você deve ir, quando parar e até quando retroceder (quem sabe, cortar alguns gastos? 😳).

Com o planejamento, você consegue até eliminar gastos que são desnecessários, bem como diminuir suas chances de ficar endividado. Afinal, a organização é o primeiro passo para a estabilidade financeira.

Ficou interessado em aprender como fazer um planejamento financeiro para você? Segue as dicas!

3 passos de como fazer um bom planejamento financeiro individual

1. Saiba aonde você quer chegar

É claro que, saber quanto se ganha e quanto se gasta já é um passo importante na vida de quem busca planejamento, mas é fundamental saber quais os seus objetivos em relação ao dinheiro.

Afinal, de que adianta economizar somente por guardar? O que você pretende fazer com o dinheiro que sobra todo mês? E se não sobra, o que deve fazer?

Por isso, defina aonde você quer chegar. Pode ser comprar um bem como um carro ou uma casa, pode ser sair das dívidas, ou até ter dinheiro para as compras de natal. Não importa.

Você precisa ter objetivos bem definidos e quanto cada um deles vai custar. Assim, você consegue prever em quanto tempo você consegue atingi-los e de quanto dinheiro vai precisar pra isso.

Você pode separar, inclusive, em prazos os seus objetivos. Aqueles que você precisa pra semana que vem, pro ano que vem ou pra daqui cinco ou dez anos.

Saiba que ter um objetivo torna sua jornada bem mais clara e faz com que você tenha uma motivação maior para economizar.

2. Organize-se

Como já mencionamos, planejamento é organização. Não importa a maneira que você prefere fazer, o importante é deixar tudo anotadinho: o que você ganha e o que você gasta.

Pode ser um caderno, uma agenda antiga, uma planilha de Excel ou até algum dos diversos aplicativos que existem para esse fim.

Você começa anotando tudo o que é fixo que entra na sua conta. Pode ser o seu salário ou um aluguel que você receba, por exemplo. Da mesma maneira, você anota tudo o que é fixo que sai da sua conta, ou seja, aquelas despesas que caem todo mês: aluguel, condomínio, escola, contas de luz, água e gás, internet, celular e outros.

Anote também suas despesas variáveis, ou seja, aquelas que não entram todos os meses. Não esqueça de considerar tudo o que você gasta: cartão de crédito, carnê de loja, empréstimos, e até aquele cafezinho do fim do dia!

Essa também é uma ótima maneira de perceber para onde está indo seu dinheiro e se não existem itens que você está gastando demais.

Agora, você vai somar tudo o que recebe e diminuir de tudo o que você gasta. Deu um valor positivo? Ótimo! Deu um valor negativo, calma que tudo na vida tem jeito! 🙏

3. Faça os ajustes necessários

Agora que você tem clareza sobre como está a sua saúde financeira, está na hora de fazer os ajustes no seu orçamento.

Está sobrando dinheiro? Que tal pensar em investimentos? Já conhece todas as opções que o mercado oferece? Para isso, lembre-se lá do nosso primeiro passo: saiba aonde você quer chegar. Assim, você consegue escolher a melhor maneira de fazer seu dinheiro render.

Agora, se está faltando, é hora de arregaçar as mangas! É possível cortar gastos? Se sim, faça os cálculos e veja quanto você consegue economizar para atingir sua meta. Não é possível? É preciso pensar nas suas opções.

Um empréstimo pessoal, por exemplo, pode ser uma ótima opção para colocar seu planejamento financeiro em dia. Aqui no Bom Pra Crédito, nós temos diversas opções de crédito através dos nossos mais de 30 parceiros! Faça uma simulação e descubra uma solução prática, rápida e sem burocracia para tirar sua conta do vermelho!

Leia mais: Organização financeira: vamos começar com esses passos

Agora que você já sabe tudo sobre planejamento, confira outros conteúdos no nosso blog!

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *