O que é CUB e como calcular? Aprenda agora!

Fabiana Veloso Vizoni

| 4 minutos para ler

CUB

Continua depois da publicidade

Certamente ao falar de obras e imóveis alguém já deve ter mencionado a palavra CUB para você. Afinal, esse indicador da construção civil serve de base para muitos custos dessa área.

Mas o que é exatamente o CUB? Para que ele serve e como fazemos para calculá-lo? Agora é a hora de aprender!

Leia também: Como financiar um imóvel, tudo o que você deve saber

O que é CUB?

CUB, ou Custo Unitário Básico, é um indicador monetário que tem como objetivo servir como parâmetro e equilibrar a formação dos preços do mercado da construção civil.

Afinal, durante a obra de uma edificação, são necessários diversos cálculos, desde o planejamento até o acabamento. Então, para fazer uma previsão de quanto vai custar uma obra, precisamos ter um parâmetro como base.

Ele foi instituído pela Lei nº 4.591 de 16 de dezembro de 1964, no artigo 54. É calculado mensalmente e divulgado até o quinto dia útil, pelo Sinduscon, o Sindicato da Indústria da Construção Civil de cada região.

O CUB se refere ao valor por metro quadrado da edificação Ou seja, é como se fosse o valor necessário para se construir um metro quadrado daquele tipo de obra.

Quais são os tipos?

Como existe uma variedade muito grande de tipos de obras, bem como tipos de acabamentos, também existem vários CUBs.

Quanto ao acabamento, ele pode ser dividido em nível baixo, médio e alto. Já quanto ao projeto-padrão, o CUB se refere ao tipo de construção que varia de acordo com o número de pavimentos, dependências e unidades.

Existem alguns códigos para definir as referências dos projetos-padrão, conheça:

  • R1: residência unifamiliar, ou seja, para apenas uma família (casas ou apartamentos). Pode ser B (padrão baixo), N (padrão normal) ou A (padrão alto);
  • RP1Q: residência unifamiliar popular, com apenas 1 pavimento, 1 dormitório, sala, banheiro e cozinha;
  • PIS: residência multifamiliar do Projeto de Interesse Social. São prédios simples com térreo, 4 pavimentos, sendo 4 apartamentos de 2 dormitórios por andar;
  • PP: Prédio Popular. Pode ser padrão baixo com 3 pavimentos ou normal, com 4;
  • R8 e R16: Residência multifamiliar com 8 pavimentos, podendo ter padrão baixo, normal ou alto ou com 16 pavimentos de padrão normal ou alto;
  • CSL 8 e CSL 16: Edifício comercial com lojas e salas, podendo ter 8 ou 16 andares;
  • CAL 8: Edifício Comercial Andares Livres, ou seja, prédio de garagem;
  • GI: Galpão Industrial.

O que se leva em consideração no cálculo do CUB?

Para o cálculo do CUB consideram-se os insumos básicos. Quem estabelece isso é a Norma Brasileira da ABNT NBR 12721 de 2006 que leva em conta os salários das pessoas envolvidas, o preço dos materiais de construção, as despesas administrativas da obra, bem como o aluguel dos equipamentos utilizados.

Tudo isso é pesquisado todos os meses pelos Sindicatos e essa variação que faz com que cada estado tenha um CUB diferente para o mesmo tipo de obra.

No entanto, o CUB desconsidera alguns itens, tais como: terrenos, projetos estruturais, elevadores, despesas com cartório, remuneração do construtor, entre outros.

Como calcular o CUB?

Para saber o Custo Unitário Básico da sua obra você vai precisar saber quanto você vai gastar de material de construção, mão-de-obra e aluguel de equipamentos. A soma de todos esses valores, divididos pela área total que será construída, é o CUB da sua obra.

No entanto, esse valor, conforme mencionamos, é estimado mensalmente pelos Sindicatos de cada estado. Assim, você precisa pesquisar qual o CUB atual do estado onde você pretende construir, lembrando que o valor varia conforme o tipo de obra e o padrão de acabamento.

Assim, se você quer saber o custo total de sua obra, você precisa multiplicar a área da sua construção pelo CUB correspondente. O resultado final você precisa somar os itens não inclusos, que você pode encontrar na listagem completa aqui.

Lembrando que o cálculo do CUB não será exato, afinal um empreendimento envolve um longo processo onde muitos imprevistos podem acontecer. Por conta disso, o CUB é considerado apenas uma referência, não significando que a obra irá custar exatamente o valor calculado.

Exemplo de cálculo

Vamos fazer uma residência unifamiliar com 200m2 de padrão normal na cidade de Florianópolis em Santa Catarina. Isso significa que nosso projeto-padrão é do tipo R1N.

O CUB do R1N para Santa Catarina está hoje no valor de R$ 2.558,37. Sendo assim, o cálculo básico seria R$ 2.558,37 x 200 = R$ 511.674,00. Sem esquecer de somar os itens não inclusos.

Na verdade, um cálculo ainda mais aproximado, multiplicaria os R$ 511.674,00 + itens não inclusos com o BDI, que são os Benefícios e Despesas Indiretas. Esse componente adicional leva em conta diversos outros elementos como o custo financeiro da obra, os seguros, as garantias, tributos, entre outros.

Como funciona o CUB em imóveis?

Muitos imóveis, principalmente aqueles adquiridos ainda na planta, utilizam o CUB como um indexador, ou seja, a maneira pelo qual é feito o reajuste do preço. Assim, verifica-se qual foi a variação do CUB naquele período e soma-se essa porcentagem às parcelas do financiamento.

O cálculo normalmente é o valor financiado dividido pelo valor do CUB. Assim, a pessoa ao invés de dever parcelas em Reais, passa a dever em CUBs, estando sujeito às suas variações mensais.

Essa é uma maneira que pode ser considerada vantajosa na hora de comprar um imóvel, já que junto com o aumento do CUB, também há uma valorização da obra e do imóvel.

Leia também: Guia do seu primeiro imóvel

Quer mais dicas como essa? Fique por dentro de tudo o que envolve o mundo financeiro aqui no blog!

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *