Limite Pix: entenda as regras e como funciona

Larissa Carvalho

| 3 minutos para ler

limite pix

Continua depois da publicidade

Neste mês de novembro, o Pix completou seu primeiro aniversário aqui no Brasil e algumas regras mudaram recentemente como, por exemplo, o seu limite.

O tão famoso, e ainda cheio de dúvidas, pagamento instantâneo se tornou febre no país, sendo também alvo de diversos golpes e fraudes.

Por conta disso, o Banco Central estabeleceu um limite para o pagamento via Pix e é sobre isso que vamos falar agora.

Quer saber mais? Acompanhe!

Leia também: PIX: os pagamentos instantâneos vão começar. Veja o que muda

O que é o Pix?

Pix é um sistema de pagamento onde é possível enviar e receber valores de e para qualquer instituição financeira, sem pagar taxas ou outras cobranças.

Com o Pix, o dinheiro entra em apenas alguns segundos na conta de quem recebe. Ele pode ser feito tanto por pessoas físicas quanto jurídicas.

Ele foi inspirado pelo sistema Open Banking da Inglaterra e seu nome é devido à palavra pixel. Dados do Banco Central, de agosto de 2021, apontam que já são mais de 100 milhões de usuários do Pix no Brasil.

É possível fazer transferências, pagar contas, faturas, boletos, fazer compras, bem como saques, tudo através do Pix. Sendo que ele utiliza apenas uma chave para essas transações, que pode ser o CPF, CNPJ, celular, e-mail ou ainda uma senha aleatória do usuário.

Atualmente, o Pix virou uma alternativa ao cartão de débito, sendo uma vantagem também para quem recebe, já que não paga nenhuma taxa.

Até pouco tempo, podia-se fazer Pix de qualquer valor a qualquer hora do dia. No entanto, por uma medida do Banco Central, essa regra mudou. Saiba mais!

Qual é agora o limite do Pix?

No dia 4 de outubro de 2021 entrou em vigor a nova regra do Banco Central, instituída em setembro, que determina que, entre 20h e 6h, as contas de pessoas físicas só podem fazer Pix de, no máximo, R$ 1 mil.

Os demais horários diurnos, ou seja, entre 6h e 20h, estão liberados para Pix de qualquer valor. Além das pessoas físicas, quem é microempreendedor individual – MEI, também passa a ter esse limite.

Na verdade, não foi só o Pix que mudou. Outras transações como o TED – Transferência Eletrônica Disponível, DOC – Documento de Ordem de Crédito, pagamento de boletos e compras no cartão de débito.

Além disso, o Banco Central também estabeleceu em março deste ano, que as instituições bancárias podem definir um valor máximo de Pix, desde que esses valores não sejam menores que os de TED ou cartão de débito.

Essas medidas foram tomadas para resguardar a segurança dos usuários, evitar fraudes, sequestros e roubos.

Como funciona o limite do Pix?

Cada instituição financeira estabelece o limite para o Pix, conforme mencionamos. Inclusive, a instituição pode definir em não ter nenhum limite.

Para os limites existem algumas regras, como, por exemplo, as compras através de QR Code que não podem ter limite maior que o das compras no cartão de crédito.

O cliente pode alterar o limite de qualquer uma das transações através do atendimento eletrônico, tanto do valor quanto da quantidade diária.

Entretanto, essa alteração só será feita, no mínimo, um dia depois, podendo levar até dois dias. Essa também é mais uma medida para evitar que os valores sejam alterados por conta da ação de sequestradores e ladrões.

Os bancos também podem oferecer a opção para que o cliente defina limites diferentes para os Pix feitos durante o dia e para aqueles feitos a noite. Ou ainda, o cliente pode fazer um cadastro de contas autorizadas para receber transferências acima dos valores limites.

Medidas adicionais

Em 16 de novembro de 2021 o Banco Central estabeleceu novas medidas de segurança. Por conta disso, pessoas que tenham suas contas com suspeita de fraudes, não poderão receber transferências por Pix por até 72 horas.

Essa regra vale apenas para pessoas físicas e permite que a instituição financeira tenha tempo para realizar uma análise da conta para que, se estiver mesmo com algum tipo de fraude, o cliente possa recuperá-la.

Assim que houver um bloqueio, o cliente recebe um comunicado, tendo conhecimento do que está acontecendo.

Outra alteração que ocorreu nessa nova resolução, foi a obrigatoriedade da notificação de infração para as demais instituições quando há irregularidades na consulta da chave Pix. Até então, os bancos podiam fazer a notificação mas não eram obrigados.

Leia também: Como fazer transferência pelo PIX

É sempre bom lembrar que, para não cair em golpes de pagamento do Pix, confira sempre se a pessoa para a qual você está enviando o dinheiro é quem ela realmente diz ser. Além disso, nunca envie pagamento para parentes ou amigos sem ter certeza que são eles mesmos que estão pedindo.

Agora que você sabe tudo sobre os novos limites estabelecidos pelo Pix, continue aqui no nosso blog para ficar por dentro de outras novidades no mundo das finanças!

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *