Recessão Econômica: o que é quais os impactos

Larissa Carvalho

| 3 minutos para ler

recessao economica

Continua depois da publicidade

A inflação vem crescendo a cada dia e a renda do brasileiro tem caído vertiginosamente. A conta não fecha, né? Os economistas preveem uma possível recessão econômica global.

Isso acontece com mais frequência depois das campanhas de aumento das taxas de juros. Ou seja, é um aumento que costuma preceder as crises econômicas.

Mas o que é a recessão econômica e quais os impactos causados por ela em uma sociedade? É sobre isso que vamos conversar neste post!

Leia mais: A importância do PIB na economia brasileira e o que isso significa no seu bolso

Recessão Econômica: o que é?

De forma resumida, é um momento de escassez de recursos, renda mais baixa, menor produção e por consequência, menos consumo numa economia. 

A recessão é um momento de queda no poder de compra e na atividade econômica de forma geral – podendo se estender por um período prolongado. 

É o estágio de uma crise onde os indicadores econômicos demonstram uma retração e precisam de muita atenção para serem superados.

Durante o declínio da economia as empresas param de contratar, fazem demissões em massa, e dessa forma, a taxa de desemprego cresce. Além disso, é possível que haja crescimento no número de falências.

O significado da palavra recessão – de forma isolada – é retrocesso em relação a algo. Sendo assim, quando  associada à economia de um país, faz referência a uma queda econômica expressiva e possivelmente duradoura.

E qual o impacto prático da recessão econômica?

Objetivamente falando, o impacto prático é a contenção do dinheiro pelas empresas e pelas pessoas

A tendência em períodos de declínio econômico é de que os recursos tornem-se mais escassos. Dessa forma, as pessoas passam a gastar menos, já que o poder de compra fica comprometido.

É comum que em meio a uma recessão haja uma desaceleração em todos setores do mercado, como comércio, indústria e serviços. Afinal, a economia experimenta menos dinheiro em circulação.

É um ciclo bem delicado para as empresas, pois ao sentir a diminuição da demanda, a produção cai e as condições de reinvestir em suas atividades também ficam menores. 

Por consequência, a disponibilidade de produtos no mercado também cai, as vendas reduzem e como resultado a lucratividade dos negócios diminui. 

O que acontece com empresas que lucram menos? Preços mais altos.

E a população, como fica? Se antes já estavam sem poder de compra, essa condição fica ainda mais crítica, tirando as poucas condições de adquirir novos itens. 

O resultado negativo se intensifica para as empresas e os cortes de custos são inevitáveis. A demissão de pessoal é uma resposta imediata, colaborando para que a renda familiar tenha uma queda expressiva. 

A situação se torna cada vez mais grave, e durante situações de recessão econômica é preciso reações e respostas cuidadosas e rápidas.

A recessão econômica gera inflação?

Na verdade, a alta da inflação e a perda do poder de compra da população são possíveis motivos para uma recessão econômica. Ou seja, quanto mais altos os juros e menos possibilidade de consumo, maior o declínio econômico.

Leia também: Mercado financeiro brasileiro, o que esperar

A recessão econômica gera crises?

A economia é marcada por diversos ciclos, e as crises fazem parte desse movimento. No entanto, a recessão é considerada o momento mais crítico de uma crise econômica, que possui uma narrativa que envolve algumas etapas:

  • Expansão: Período em que os juros estão mais baixos e há estímulo para produção e consumo.
  • Boom: Momento é que a produção e consumo estão em estágios mais altos, resultando em desequilíbrios econômicos, como o aumento da inflação.
  • Contração: Estágio em que atividade econômica entra em redução devido ao aumento da taxa de juros, tendo foco a freada da inflação. Aqui, é possível aumento no desemprego e redução do consumo.
  • E por fim, a recessão: Momento da crise com pico no aumento do desemprego e taxas de juros em níveis muito altos com resultados que envolvem todos os setores da economia e a vida da população.

O que fazer em meio a uma recessão econômica?

Economizar e definir prioridades para evitar endividamento é uma das melhores estratégias para sentir menos os impactos do cenário atual. É essencial que o consumidor analise e faça compras mais conscientes ainda durante estes períodos.

O planejamento financeiro ajuda muito em fases em que a economia não vai bem, então lembre-se de ter uma reserva de emergência ao alcance, renegocie dívidas a juros mais baixos e evite gastos grandes neste momento.

Com essas informações, deu para ter ideia de como funciona uma recessão econômica! Continue acompanhando nosso blog para mais informações do mercado financeiro.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *