Regras do cheque especial: quais são e como as mudanças afetam o seu bolso

Larissa Carvalho

| 4 minutos para ler

calculadora cinza e caneta branca em cima de papel

Continua depois da publicidade

Uma das linhas de crédito mais conhecidas dos brasileiros mudou de regras e isso gera impacto direto na sua vida financeira, quer saber por quê? Confere o conteúdo a seguir

Para quem está passando por apertos no orçamento, o cheque especial, assim como o rotativo do cartão de crédito, é uma opção a curto prazo para resolver o problema. O difícil é que, por causa dos altos juros do cheque especial, a sua dívida pode aumentar e muito.

Mas as regras do cheque especial mudaram e as novas normas afetam o seu bolso e a sua vida financeira. E se você ainda não sabe como, está na hora de se informar. Confira qual a nova regra do cheque especial 2021 e se prepare para adequar o seu orçamento!

imagem ampliada de pessoa segurando cartão de crédito em uma mão enquanto mexe no celular na outra

O que é o cheque especial?

O cheque especial é uma linha de crédito a que todo correntista tem direito. Ele é um limite que fica pré-aprovado no seu banco, independente de você solicitar ou não, e você pode usar a qualquer hora. Geralmente para ser utilizado em situações de emergência.

Quando usar o cheque especial?

É aconselhável utilizar o cheque especial quando você tiver uma emergência que pode ser resolvida a curto prazo. Quando o dinheiro do mês acaba e você precisa do valor para pagar uma conta ou ir ao médico, por exemplo, e poderá restituir o dinheiro no próximo mês.

Isso porque os juros são altos e quanto mais tempo você levar para pagar, maior essa dívida vai ficar.

Como o valor do cheque especial é definido?

Você pode estar se perguntando “se não preciso solicitar esse limite, como ele é definido?”, é simples. O valor do cheque especial é determinado com base na sua renda mensal, no seu histórico de pagamento, na movimentação da sua conta, entre outras coisas.

Ele funciona como uma espécie de empréstimo, mas com algumas diferenças. Por exemplo, aos empréstimos são cobrados juros e taxas mensalmente, já ao cheque especial esse valor é reajustado todo dia. Por isso, também, ele é um crédito para se repor rápido.

Mas em 2018 o benefício mudou e o Normativo de Uso Consciente do Cheque Especial, da Febraban, explica direitinho as normas. Então continue lendo para conhecer as novas regras do cheque especial.

Regras do cheque especial válidas a partir de 2021

As mudanças nas regras do cheque especial tem como objetivo tornar essa uma alternativa de uso mais consciente para os clientes. Com as alterações, o correntista corre menos risco de contrair uma dívida caso precise utilizar esse tipo de crédito. O que mudou:

  • O banco precisa te avisar quando você entrar no cheque especial;
  • Se você tiver uma dívida maior que 15% do seu limite, o banco precisa te oferecer uma alternativa mais em conta para quitação dessa dívida;
  • O valor do seu saldo e do limite do cheque especial devem aparecer separados no seu extrato;
  • Você pode negociar seu cheque especial a qualquer momento com o banco;

Assim, você não entra automaticamente no cheque especial e acompanha todo o limite de uso pelo extrato bancário.

Tarifas

A tarifa para cheque especial, definida pelo Banco Central é de, no máximo, 8% ao mês. O limite por ano também foi definido e é de 150%. Lembrando que as instituições bancárias também definem suas taxas de juros, além de ser adicionado o valor referente ao IOF.

Essa taxação do banco pode ser conferida na tabela de taxa de juros do cheque especial liberada pelo Banco Central. É importante que, antes de utilizar o crédito, você confira quais os juros cobrados pelo seu banco para saber se vale a pena.

Limite máximo

Com as novas regras do cheque especial as instituições bancárias receberão pelo benefício mesmo que ele não seja utilizado. Antes, os bancos só recebiam se o cliente utilizasse o crédito. Agora eles poderão cobrar pelo benefício apenas por disponibilizar ele para você.

Mas existe um limite para isso: os bancos só poderão cobrar quando o limite do cheque especial é superior a R$500.

Redução de custos

Caso você tenha o limite do cheque especial superior a R$500 e não queira pagar por ele, utilizando ou não, é possível reduzir esse custo. Basta que você se dirija ao seu banco ou utilize o aplicativo bancário para modificar e diminuir o valor do seu benefício.

É bom saber que solicitar a diminuição ou qualquer mudança no limite do seu cheque especial é um direito seu que não pode ser negado pelo banco.

Como os bancos estão lidando com essas regras

Aos bancos coube a tarefa de avisar ao correntista sobre qualquer mudança ou cobrança a mais de taxas ou tarifas. Além de fazer as alterações necessárias para que os clientes tivessem acesso a todas as informações sobre o benefício.

De forma geral, a mudança foi recebida de forma positiva.

imagem de lado de mulher segurando no ziper de uma carteira preta

Tá precisando de ajuda?

Ainda que seja uma alternativa que pode te ajudar em um momento de necessidade, é preciso cuidado ao utilizar o cheque especial. Se estiver precisando sair do vermelho, pesquise as melhores opções de crédito antes de decidir pelo cheque especial.

Muitas vezes a solicitação de empréstimos pessoais, consignados ou com garantia de imóvel, saem muito mais em conta. E você sabé, né? Empréstimos com as melhores condições, você encontra no Bom Pra Crédito. Então acesse agora o site e simule o seu!

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *