Como pagar dívida em cartório: passo a passo

Larissa Carvalho

| 4 minutos para ler

Pessoa com uma carteira com dinheiro e cartão de crédito em uma das mãos.

Continua depois da publicidade

Saiba como realizar o pagamento da dívida em cartório e entenda como um empréstimo pode ser uma boa opção 

Com o CPF em situação irregular, bens pessoais como carros e imóveis podem ser bloqueados, e até mesmo o dinheiro de sua conta bancária pode ser utilizado para quitar o débito. Além disso, pode afetar aprovações de crédito futuras.  

Neste artigo, você vai entender como pagar dívida em cartório, como consultar dívidas registradas em cartório, além de descobrir o que fazer caso possua uma dívida em cartório e algumas dicas para regularizá-las.  

O que é protesto em cartório?

O protesto em cartório nada mais é do que a formalização de uma dívida em um cartório de protesto. 

Quando uma empresa ou uma pessoa física oficializam (protestam) uma dívida em um cartório de protestos de títulos, a denúncia é enviada por ele aos Tribunais de Justiça, nos quais ela será analisada pelo tabelionato. 

Em seguida, o devedor é intimado a comparecer ao cartório para regularizá-la. Caso não compareça, este ficará inadimplente.  

Leia também: O que acontece com nome sujo no SPC após 5 anos?

Quais dívidas podem ser protestadas 

A Lei 9.492 de 1997 prevê protesto para o descumprimento da obrigação de pagamento de títulos e outros documentos de dívida. Assim como de dívidas ativas da União, estados e municípios. 

Há diversos tipos de dívida que podem ser protestadas em cartório. Veja alguns exemplos abaixo: 

  • Nota de Crédito
  • Cheques Devolvidos
  • Contratos 
  • Notas Promissórias 

Como consultar sua dívida

Recebeu uma notificação ou quer consultar se seu CPF está atrelado a mais alguma dívida? É possível fazer isso em uma agência do Serasa ou SPC utilizando seu CPF e documento com foto. 

Caso você queira checar um cartório de protesto específico, o Ministério da Justiça possui uma relação destes separados por cidade e estados. 

O que fazer quando houver um protesto em meu nome?

Mãos segurando documento

A primeira coisa que você deve fazer ao receber a notificação de uma dívida com o cartório é buscar o credor para regularizar a situação. Isso pode ser feito tanto pelo pagamento integral da dívida quanto pela negociação

Assim que a dívida for regularizada, a empresa ou a pessoa física deve te oferecer um documento chamado carta de anuência, que informa que o débito está regularizado. 

Depois disso, se dirija ao cartório de protesto com a carta de anuência, um documento oficial com foto e seu CPF. Os cartórios cobram uma taxa para a regularização de dívida, por isso entre em contato antes para se informar sobre o valor. 

O cartório, então, tem até cinco dias para enviar o comando de exclusão às entidades de proteção de crédito, como o Serasa, informando o pagamento da dívida e pedindo a regularização de seu CPF. 

As entidades de proteção de crédito, por sua vez, têm até um dia após o recebimento do comando da exclusão para dar baixa. 

Caso o protesto venha de um cartório fora de sua cidade ou estado, é possível fazer o processo pelos Correios. Para isso será preciso verificar se o cartório em questão faz esse tipo de serviço.  

Dicas de como pagar dívida em cartório 

Agora que você já sabe o que é uma dívida em cartório e qual o procedimento a se seguir para regularizá-la, confira algumas dicas para evitar a inadimplência. 

Negociação de dívida 

Caso você note que não conseguirá pagar uma dívida, uma opção é tentar negociá-la antes que a empresa ou pessoa física entre com o protesto. Lembre-se que, mesmo quitando a e limpando seu nome, casos como esse entram no seu score de crédito, fazendo com que ele baixe.

Caso seu score de crédito seja baixo, isso indicará que suas chances de inadimplência são maiores, o que pode dificultar a aprovação de crédito no futuro. 

Para renegociar sua dívida é importante ter um controle do seu orçamento doméstico. Assim, você saberá quanto dinheiro terá disponível para aquela dívida e poderá fazer uma negociação mais assertiva. 

Além disso, é importante priorizar dívidas que possuem imóvel como garantia, para evitar sua perda. Por isso, rastreie quais são seus débitos e faça uma lista de prioridades. 

Crie um controle de gastos

Máquina de pagamento com cartão.

O melhor jeito de evitar dívidas é se organizar financeiramente. Há diversas maneiras de fazer isso e você pode escolher a que preferir, desde planilhas, anotações em cadernos e aplicativos. 

O importante é optar por uma maneira que te permita ter uma visão completa do dinheiro que entra e que sai no mês. Uma boa opção para começar a se organizar é a regra 50-30-20. 

Leia também: Mulheres independentes: Organização financeira para mães solo

Neste método de organização financeira, a recomendação é de que 50% do seu salário seja destinado a gastos essenciais (aluguel, faculdade, escola das crianças etc.), 30% para gastos variáveis (água, luz, internet, celular) e 20% para poupança ou dívidas. 

Um dos principais benefícios desse método é a flexibilidade, uma vez que as porcentagens podem ser adaptadas para cada realidade. O ponto central é entender qual o valor máximo para cada categoria de acordo com a sua realidade. 

Considere fazer um empréstimo  

Como assim? Vou pagar uma dívida criando outra? A população brasileira demorou para se bancarizar e sempre se mostrou receosa de fazer acordos com bancos. Esse temor é justificável, já que o país é um dos que mais possuem taxas bancárias. 

Contudo, o ecossistema financeiro brasileiro mudou dramaticamente nos últimos anos com o surgimento das fintechs,que procuram cada vez mais simplificar as operações financeiras e democratizar o acesso a elas.   

O Bom Pra Crédito é um exemplo disso. Nós unimos credores e tomadores por meio de uma experiência 100% digital e sem burocracia, oferecendo diferentes modalidades de créditos: 

Empréstimo pessoal: voltado para pessoas físicas, não precisando de bem como garantia nem de justificativa para solicitar o dinheiro. 

Empréstimo com garantia: nessa modalidade, o bem é utilizado como garantia de pagamento, podendo ser um veículo, um imóvel ou até mesmo seu celular.

Empréstimo consignado: semelhante ao empréstimo pessoal, com a diferença de que este é descontado diretamente de sua folha de pagamento.

Agora que você já sabe tudo sobre como pagar dívida em cartório,  que tal começar a seguir essas dicas para evitar a negativação do seu CPF? 

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *