Desconto empréstimo consignado na rescisão: o que acontece com a dívida?

Larissa Carvalho

| 4 minutos para ler

desconto emprestimo consignado

Continua depois da publicidade

Você pegou um empréstimo consignado, ele está sendo descontado mensalmente do seu salário e até aí tudo bem. Só que de repente, você é demitido do seu emprego e não sabe como vai arcar com essas despesas. Como fazer o desconto do empréstimo consignado agora que você não tem mais o seu emprego?

Vamos te explicar todos os cuidados que você precisa tomar na hora de tomar um empréstimo e o que acontece com o pagamento das parcelas quando você não está mais empregado.

Leia também: Renegociar empréstimo consignado: entenda como fazer

O que é empréstimo consignado?

Empréstimo consignado é aquele onde as parcelas são descontadas diretamente do salário ou do benefício que o cliente recebe. Ele é exclusivo para pessoas que são assalariadas, funcionários públicos, militares das forças armadas, aposentados e pensionistas do INSS.

Para realizar um empréstimo consignado, o cliente precisa optar por um banco ou instituição financeira que tenha convênio com a fonte pagadora do salário.

É um tipo de empréstimo que costuma ter boas taxas já que o fato de ser descontado é uma espécie de garantia de que o banco irá receber os pagamentos das parcelas.

Mas e em caso de demissão do funcionário, o que acontece? É sobre isso que vamos falar:

Desconto do empréstimo consignado ao sair da empresa: como fazer?

Primeiramente, é importante saber que existe a Lei do Empréstimo Consignado. Ela está em vigor desde 2003 e determina diversas regras em relação a esse tipo de crédito.

Uma delas é que, mesmo em caso de demissão do funcionário, ainda assim ele precisa arcar com as parcelas do empréstimo. Assim, os valores serão cobrados diretamente da conta bancária do cliente ou ainda, por boleto bancário.

Para saber exatamente qual será a forma de cobrança nesses casos, é importante estar sempre atento ao contrato de empréstimo.

Sendo assim, quando ocorrer a demissão, o tomador precisa verificar as maneiras de cobrança e, se houver mais de uma, optar pela que seja mais vantajosa.

Infelizmente, não há nada que o antigo emprego possa fazer a respeito do seu empréstimo consignado. Isso porque eles eram apenas uma “ponte” entre o tomador do empréstimo e o banco que o ofertou.

Sendo assim, a negociação precisa ser feita sempre com a instituição financeira diretamente.

O desconto do empréstimo consignado pode ser feito na rescisão?

Sim. Se o colaborador pede demissão ou é demitido antes de pagar todas as parcelas do empréstimo, pode-se descontar até 30% das verbas rescisórias. Isso quem determina é o artigo 1°, parágrafo 1°, da Lei 10.820/2003 e deve estar desta maneira discriminado no contrato feito entre a empresa pagadora e o banco que fez o empréstimo.

Se o contrato foi feito depois de 2016, já existe uma mudança de regra. Assim, se a demissão for sem justa causa ou por conta de solicitação do empregado, pode-se usar até 10% do saldo do FGTS, bem como 100% da multa rescisória.

E no caso de falência da empresa?

Se o caso do desligamento do funcionário for a falência da empresa, ainda assim podem ser descontados os valores das verbas rescisórias. Isso porque a empresa continua tendo que pagar os direitos para o funcionário desligado.

Se isso não ocorrer, é necessário um apoio, muitas vezes jurídico, para garantir o recebimento dessas verbas e, consequentemente, auxiliar no pagamento do saldo emprestado.

Quais os cuidados na hora de fazer um empréstimo?

Não é apenas com a rescisão do emprego que você precisa se preocupar quando tem um empréstimo consignado. Afinal, ele compromete parte do dinheiro que entra todo mês para o pagamento de suas contas e da sua sobrevivência.

Então, saber exatamente quanto se tem emprestado, o chamado Custo Efetivo Total, o CET, é o primeiro passo. Saber quanto você paga de juros, quantos meses faltam para terminar de pagar, o valor total devido, são algumas informações que precisam estar na ponta da língua de quem tem um empréstimo. Afinal, você só consegue se programar para algo que tem total consciência.

Estar em dia com o planejamento financeiro pessoal também é outro passo importante. Por isso, saber também tudo que você recebe e o que você gasta é fundamental para entender sua capacidade de pagar contas ou despesas do dia a dia.

Uma boa opção é fazer uma planilha de gastos, anotando tudo o que entra de dinheiro e quanto sai. Saber para onde vai esse dinheiro também é legal, assim você consegue ter uma real noção de onde gasta mais e pode até se programar para cortar gastos desnecessários!

Para quem foi demitido, já que esse é o assunto de hoje, saber exatamente quanto vai ganhar de indenização da empresa na hora da rescisão também é importante. Assim você consegue fazer uma previsão dos valores que serão descontados para pagar as parcelas do consignado.

Estabelecer as prioridades na hora de pagar as dívidas também reduz a possibilidade de pagar juros maiores. Afinal, se você tem diversas contas para pagar, precisa sempre priorizar aquelas que cobram maiores taxas ou as que têm consequências maiores se você ficar inadimplente.

Onde fazer empréstimo consignado?

No Bom Pra Crédito você pode realizar seu empréstimo consignado! Basta fazer uma simulação e selecionar uma instituição financeira entre os diversos parceiros reconhecidos no mercado que nós temos!

Mais de 7 milhões de pessoas já solicitaram empréstimo no Bom Pra Crédito, agora só falta você!

Leia também: Saiba como funciona o empréstimo consignado para aposentados

Quer saber mais sobre o universo financeiro? Aqui no nosso blog você encontra as melhores dicas! ?

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *