O que é e como funciona o Pefin e Refin?

Larissa Carvalho

| 3 minutos para ler

Continua depois da publicidade

Conhecer ferramentas que ajudem a empresa a reduzir clientes inadimplentes é uma maneira eficaz de proteger a saúde financeira dos empreendedores. Sendo assim, a Serasa Experian disponibilizou o Pefin e Refin, recursos que ajudam na política de cobrança e consulta de CPF e CNPJ para empresas.

As ferramentas permitem que empresas insiram pendências financeiras e consultem a situação do cliente, seja ele pessoa física ou jurídica.

Para conhecer melhor esses recursos e saber como utilizá-los no dia a dia, preparamos um compilado de informações!

Leia mais: Renegociação de dívidas ajuda a organizar as finanças

Pefin e Refin: Sistemas de cobrança e consulta

Tanto o Pefin como o Refin são recursos de cobrança e consulta de situação financeira, utilizados por empresas.

No entanto, o que muda entre os dois é a fonte de informações e a natureza da inadimplência. Vamos entender melhor?

O que é Pefin?

O Pefin é uma ferramenta que facilita o processo de cobrança e renegociação de dívidas diretamente entre empresas e devedores. 

Além disso, ainda permite que empresas façam a inserção de novas pendências financeiras e consultem a inadimplência de um cliente para evitar negócios de risco.

Instituições de diversos segmentos da economia incluem as informações disponíveis para consulta, como varejo, indústria, prestação de serviço, entre outros.

Além disso, por meio de carta-comunicado, as empresas podem se comunicar com os clientes passando maiores informações sobre a dívida e de como quitá-la. 

Além disso, tem a opção de enviar um boleto com possíveis descontos aplicados. Dessa forma, o cliente inadimplente tem maiores chances de quitação de débitos.

O que é Refin?

O Refin possui o mesmo objetivo do Pefin: consultar a situação do CPF ou CNPJ do cliente e facilitar o processo de cobrança.

No entanto, a fonte dos dados é que muda. Neste caso, é possível que empresas verifiquem a situação da pessoa física ou jurídica junto aos bancos e outras instituições financeiras.

Para isso, é claro, a instituição fica responsável pela inserção dos dados na ferramenta para que a cobrança seja efetuada e o débito seja confirmado, podendo ser consultado por outras empresas.

Como utilizar Pefin e Refin?

O Pefin pode ser contratado pela empresa diretamente pelo site do Serasa Experian.

O Refin pode ser utilizado por empresas que atuam no mercado de crédito. Além de serem responsáveis por alimentar o banco de dados com as pendências financeiras, têm acesso à consulta do histórico financeiro do cliente.

Os dois recursos de soluções financeiras são disponibilizados pelo Serasa Experian para contornar possíveis inadimplências.

É melhor fazer um Protesto ou utilizar Pefin e Refin?

A empresa tem a possibilidade de efetuar um protesto do valor devido pelo cliente junto ao cartório, que é um processo formal e faz a documentação da dívida, protegendo o credor de forma legal.

No entanto, esse processo é feito presencialmente, requer a junção de documentação para provar a existência da dívida para que então possa efetuar a cobrança do valor.

Por meio do Pefin e Refin, o processo acontece digitalmente, sem burocracia. O sistema da Serasa Experian valida as informações e faz o envio da carta-comunicado com prazo de 5 a 10 dias para o devedor entrar em contato com o credor e solucionar a questão.

Caso não ocorra, o CPF ou CNPJ do cliente é inserido no banco de dados, aparece nas consultas feitas na rede da Serasa. 

Leia também: Qual a diferença entre inadimplência e endividamento?

Porque optar pelo Pefin e Refin?

O custo para fazer um protesto em cartório é bem mais alto do que incluir uma dívida no Pefin e Refin. Além disso, o recurso respalda a empresa na comprovação judicial de débitos.

Por meio de uma única ferramenta o sistema oferece praticidade para localizar o cliente e fazer todo o trâmite de consulta e cobrança.

Por fim, a recuperação de dívidas não pagas é muito maior graças ao envio da carta-comunicado aos devedores. Atualmente, 50% das empresas conseguem esse retorno.

Essas informações poderão ajudar no fechamento de negócios menos arriscados, protegendo as empresas e diminuindo a inadimplência.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *