Taxas de juros de empréstimo: entenda como calcular

Larissa Carvalho

| 3 minutos para ler

Continua depois da publicidade

Existem diversas linhas de crédito disponíveis para fazer mudanças significativas na vida. Sendo assim, é possível organizar a situação financeira, abrir um negócio, estudar ou até comprar um imóvel. No entanto, conheça as possibilidades e descubra as taxas de juros de empréstimo para ver se está adequado ao seu momento.

Para solicitar um empréstimo, é preciso entender o prazo disponível para pagamento, saber como calcular as taxas de juros, além de todas as condições previstas no contrato. Dessa forma, o cliente não conta com nenhuma surpresa desagradável na hora de pagar a conta.

Por isso, trouxemos informações cruciais para ajudá-lo na hora de escolher a melhor instituição para contratar seu empréstimo!

Leia também: Empréstimo com Garantia: saiba como funciona!

Como funcionam as taxas de juros e suas variações?

Quando uma pessoa solicita um crédito, existe o risco de não pagamento calculado pela instituição financeira. Alguns tipos de crédito tem juros mais altos exatamente por terem maior chance de atraso.

O empréstimo pessoal, por exemplo, usa dados de mercado para definir a taxa de juros. No caso das taxas de juros do empréstimo com garantia ou consignado, existe outra estratégia relacionada, que é o bem oferecido pela pessoa em caso de não pagamento. Sendo assim, há menores chances de inadimplência, o que aumenta a confiança da instituição.

As variações das taxas de juros são influenciadas pela taxa básica da economia, conhecida como Sistema Especial de Liquidação e Custódia, ou SELIC. Todo o cenário econômico do país, como alta ou baixa da inflação, impactam no aumento ou diminuição da taxa.

É importante que o cliente tenha acesso ao Custo Efetivo Total, ou seja, a todos os encargos que formam os juros da linha de crédito solicitada. 

O imposto sobre Operações Financeiras, conhecido como IOF, possíveis seguros e taxas administrativas, caso existam.

Como calcular taxa de juros de empréstimo        

A definição da taxa de juros leva em conta a política de crédito da instituição e o perfil financeiro de quem solicita o empréstimo.

Sendo assim, é importante conhecer os tipos de juros existentes, fazer comparações e encontrar a menor taxa.

Os juros do empréstimo podem ser divididos em simples ou composto. 

Como funciona o juros simples?

A taxa de juros simples é bem fácil de ser calculada. Neste caso, a taxa é fixa, definida e aplicada mês a mês no valor pago.

Vamos a um exemplo prático? Imagine que uma pessoa pede um empréstimo de R$ 10mil, por exemplo, e a taxa de juros fixada e definida é de 2% ao mês. Nesse caso, o valor da parcela terá um acréscimo de 2% em cima desses R$ 10mil todo mês, até o final do contrato.

Como funciona o juros composto?

Diferente dos juros simples, o  juros composto tem como base o valor total solicitado, e inclui os juros que se acumulam em cada período. É conhecido como juro sobre juro, sabe?.

Como resultado, o cálculo da taxa é a soma do valor solicitado com os juros aplicados no mês anterior. Ou seja, o valor da parcela funciona de forma crescente. 

Por exemplo, para um empréstimo de R$ 10 mil e uma taxa de 2% ao mês, a primeira parcela seria R$ 200,00. A segunda parcela considera a soma do valor de juros cobrado no mês anterior + o valor do juros, ou seja, R$ 10.200,00. Sendo assim, no mês seguinte, a parcela passa para R$ 204,00.

Para que as parcelas sejam fixas, a instituição financeira se baseia no custo total do empréstimo com a soma dos juros compostos cobrados. Em seguida, divide o valor total pelo número de parcelas que o cliente decidiu pagar. Dessa forma, quando o cliente faz o pagamento antecipado, é possível oferecer descontos nas parcelas.

Qual o banco que tem a menor taxa de juros para empréstimo?

É importante realizar simulações de empréstimo para entender a atualização das taxas de juros das instituições financeiras.

Bancos como Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil, Itaú estão entre os mais vantajosos para a contratação de empréstimos, porém, vale lembrar que a liberação de crédito não depende apenas do banco. Ou seja, o perfil de consumo, pagamento e relacionamento do cliente junto à instituição financeira contam na hora de solicitar crédito. 

Um banco pode liberar crédito para quem ainda não é cliente, por exemplo, porém, com taxas mais altas. 

É possível ainda, que o cliente faça contratação de um empréstimo de menor valor com juros também reduzidos junto a instituição quando já possui mais tempo de relacionamento e bom histórico de pagamento, por exemplo.

Cada caso é um caso para que a liberação de empréstimo possa acontecer.

Leia mais: 7 motivos para pedir empréstimo pessoal. Conheça aqui!

Qual é o tipo de empréstimo mais barato?

As modalidades de empréstimo com menor incidência de taxas, no geral, são Empréstimo Consignado e Crédito Pessoal.

Gostou de saber sobre as taxas de juros de empréstimos? Continue acompanhando o nosso blog para se manter bem informado.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *