Metaverso: o que é e para que serve esse mundo virtual?

Larissa Carvalho

| 4 minutos para ler

metaverso

Continua depois da publicidade

Certamente você já ouviu o termo metaverso por aí, afinal, essa é uma das palavras mais procuradas dos últimos tempos.

Mas o que significa metaverso? Onde vive e o que come? 😂 Para que ele serve? É isso que vamos te mostrar agora, acompanhe!

Leia mais: Real digital: conheça a nova moeda virtual brasileira

Afinal, o que é o metaverso?

O metaverso é uma espécie de universo que mistura o mundo real e virtual, sendo considerado uma evolução da internet. Ele é um ambiente digital onde é possível se inserir, ou seja entrar nele e é construído por diversas tecnologias como, por exemplo, realidade virtual e realidade aumentada.

Nesse mundo, a ideia é poder interagir com outras pessoas e meio que viver uma vida de verdade lá dentro. Só que ao invés de ser você, são os chamados avatares. A definição de avatar vem da religião hindu, mas na informática eles significam uma figura que é parecida com o usuário, ou seja, um corpo virtual para quem controla.

A ideia é que esses avatares, que serão customizados em 3D da maneira que você desejar, possam interagir uns com os outros, trabalhar, estudar, tudo dentro do computador e você vai poder participar de tudo isso!

Assim, basta colocar seus óculos de realidade virtual e você vai poder entrar dentro de programas, podendo até viajar para outros países.

Inclusive, o dono do Facebook, Mark Zuckerberg já mudou o nome da sua empresa para Meta, saindo na frente de todo mundo nesse mercado de realidade aumentada! Ele é bem esperto, não é mesmo? 😜

Quando ele surgiu?

A palavra metaverso surgiu em um livro de ficção científica chamado Snow Crash de 1992. Ele conta a história de um entregador de pizza que faz parte de um mundo virtual onde seu avatar é, na verdade, um samurai. No livro, o autor chama esse mundo virtual de metaverso.

Outro livro que também citou o metaverso foi Ready Player One, ou Jogador Número 1, que inclusive virou filme nos cinemas, onde seus personagens utilizam um simulador virtual para poderem fugir da realidade.

Já em 2003 foi lançado o jogo Second Life onde existia um ambiente virtual que simulava a vida real com avatares e tudo mais que hoje é a proposta do metaverso. No entanto, ele não conseguiu criar uma economia virtual como a nova modalidade.

Os benefícios do metaverso

Dentro desse mundo virtual é possível você realizar diversas atividades como por exemplo: uma reunião com os amigos, atuar em novas profissões, fazer compras ou outras experiências diferentes para que você tenha uma vida on-line!

Entretanto, há outras vantagens já que o metaverso pode abrir oportunidades em mercados como o imobiliário e transações comerciais.

Outro nicho bastante promissor é o da música. Aliás, já temos artistas que se beneficiam com ele, como a cantora Ariana Grande, por exemplo, que já realizou um show com o seu avatar dentro do jogo Fortnite. Ou seja, esse mundo oferece inúmeras possibilidades!

Mundo real x virtual

Mas será que o mundo real está preparado para andar lado a lado com o virtual?

Com a pandemia, experimentamos viver em uma realidade totalmente diferente do que estávamos habituados já que precisamos mais do mundo virtual do que imaginávamos. Isso porque passamos a fazer praticamente tudo pela internet, desde o trabalho até as compras.

De acordo com um relatório da consultora PwC, até 2030 quase 23,5 milhões de empregos usarão a realidade virtual e aumentada para funções de aprendizagem, reuniões e serviços de atenção ao cliente.

Quais as principais tecnologias envolvidas no metaverso?

O metaverso é formado basicamente dessas 3 tecnologias:

  • Realidade Virtual: ambiente tridimensional construído por meio de softwares e, para acessá-la, é preciso usar óculos de realidade virtual, computadores, fones de ouvido e outros equipamentos;
  • Realidade aumentada: esta realidade já é o contrário, já que ela insere dados virtuais no mundo real. Jogos como o Pokémon Go são um exemplo bem famoso dessa tecnologia. Para utilizá-la você também pode usar óculos que mostram em suas lentes informações sobre o ambiente;
  • Blockchain e criptomoedas: nós já falamos de blockchain aqui no blog. Ele é um banco de dados públicos e centralizados de criptomoedas e NFTs e que também dão suporte ao metaverso. Isso porque por meio delas uma pessoa pode fazer transações de valores e realizar registro de propriedades virtuais.

Qual a relação do metaverso com dinheiro?

A lógica é que o metaverso tenha a sua própria economia e, para que as pessoas possam trabalhar, construir casas, comprar roupas, ir a festas e outras atividades de uma vida normal é necessário ter dinheiro.

O blockchain pode ser uma base para a economia metaverso já que é uma ferramenta muito segura e as criptomoedas são os meios de troca que existem dentro da plataforma. Inclusive há projetos que já usam as criptos em jogos online.

Por fim, os NFTs servirão para negociar e registrar propriedades virtuais autenticadas.

Como investir no metaverso

Existem várias formas de você investir no metaverso. Algumas delas são:

  • Criptomoedas: uma das formas de participar desse mundo é comprando criptomoedas associadas ao metaverso;
  • Fundos de investimento: é possível também aplicar em fundos voltados para o metaverso, mas é preciso ter um valor mínimo de R$1 mil;
  • Terrenos virtuais: é possível comprar terras virtuais e depois vendê-las. Em novembro de 2021, um terreno dentro do metaverso foi vendido por US$ 2,4 milhões em criptomoedas. 😱

Leia também: O que é moeda digital: saiba tudo sobre esse investimento

Para continuar informado sobre tudo que há de novo, acompanhe o nosso blog.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *